quarta-feira, 17 de maio de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 14

Bom dia!

Preparem-se para uma surpresa!

Quem andou pesquisando por aí já deve ter visto em algum lugar um projeto como este:


Curvas e espirais são deslumbrantes, mas assustam muita gente! No entanto... confeccionar um bloco espiral é muito simples. A técnica utilizada é uma variação um pouquinho mais elaborada do canto-quebrado. Tenha fé e acompanhe comigo. O bloco espiral na verdade tem um desenho bastante comum; repare na ilustração abaixo: no fundo, ele não tem curvas! A ilusão é criada pelo posicionamento das cores:

Entenda a construção primeiro; depois faremos os cálculos e lista de corte:


E é só isso! As curvas surgirão magicamente!

Na verdade, o que estamos aprendendo hoje é que é possível "quebrar-cantos" de peças compostas por mais de um pedacinho - não só de partes inteiras como fizemos nos blocos 12 e 13, nas semanas anteriores. E isso abre um mundo de possibilidades.

Para calcular as peças, volte acima, observe a primeira ilustração e repare no tracejado vermelho: o bloco precisa medir 8 polegadas, portanto cada quadradinho da grade vermelha vale duas polegadas. Nossa lista de corte vai ficar assim:

Centro do bloco:
  • São 4 quadradinhos medindo uma polegada; corte-os com 1 1/2" - duas vezes em coringa, duas vezes em azul.

Passo 2 - primeira volta de bordas:

  • os dois primeiros retângulos medem 1 x 2; corte-os com 1 1/2" x 2 1/2", duas vezes, em tecido azul;
  • os outros dois retângulos medem 1 x 4; corte-os com 1 1/2" x 4 1/2", duas vezes, em tecido coringa;

Passo 3 - quebrar os cantos:
  • os triângulos medem duas polegadas; corte os quadradinhos (que você vai riscar na diagonal, certo?) com 2 1/2" - duas vezes em coringa, duas vezes em azul.

Passo 4 - mais uma volta de bordas:
  • os dois primeiros retângulos medem 2 x 4; corte com 2 1/2" x 4 1/2", duas vezes, em tecido azul;
  • os outros dois retângulos medem 2 x 8; corte com 2 1/2" x 8 1/2", duas vezes, em tecido coringa.

Passo 5 - quebrar os cantos novamente:

Os triângulos medem 4 polegadas; corte os quadrados com 4 1/2" - duas vezes em coringa, duas vezes em azul. 

Vamos montar?

ATENÇÃO: Para o efeito espiral dar certo, é fundamental prestar atenção à posição das cores como nas ilustrações do passo-a-passo abaixo!

Passo 1: monte o centro com os quadradinhos:



Passo 2: costure a primeira volta de bordas:

Passo 3: quebre os cantos:


Passo 4: acrescente a segunda volta de bordas:

Passo 5: quebre os cantos novamente. As instruções são as mesmas do passo três. ATENÇÃO ÀS CORES:


Pronto! Planejamento + atenção = um bloco lindo de morrer!

O bloco espiral é incrivelmente flexível: pode ser feito com mais - ou menos! - níveis de bordas e cantos quebrados. Pode ser usado como centro de outros blocos, ou combinado com outros blocos para efeitos espetaculares. Alguns exemplos:
Projeto simples em estilo scrappy - aproveitando sobras!

Bloco espiral utilizado como centro de um design de flor.

Projeto em estilo medalhão, com borda também composta por blocos em espiral.

Blocos em espiral combinados com blocos catavento.

Peça confeccionada por mim no ano passado: os blocos em espiral aqui são utilizados como peças intermediárias em uma montagem diagonal. 

Peça minha também: blocos em espiral combinados com um medalhão central com detalhes de folhas em appliqué.


E para fechar com chave de ouro: colcha magnífica confeccionada pela minha aluna Kumiko Amagai, baseada em um projeto da designer Judy Martin; participou da 6ª Mostra de Patchwork de Pouso Alegre, realizada pelo Baú da Cotinha um ano atrás:


Para mim, este bloco de aparência complexa, mas confecção simples, é a maior prova de que o patchwork não é difícil como parece.

Quem está acompanhando o projeto, por favor, conta para a gente: o que está achando? Mais difícil ou mais fácil do que você imaginava? E mande fotos dos seus bloquinhos!

E se você está gostando dessas aulas, por favor, visite nossa página no facebook e deixe uma avaliação bacana para nos motivar! Lá você também pode ver fotos dos bloquinhos enviados pelas participantes.

Abraços e até quarta que vem!

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Relembrando Conceitos

Acordei hoje cedo pensando em nosso mundo, nos trabalhos que fazemos, e por quê fazemos. E aí deu vontade de reler e compartilhar este artigo que escrevi e postei anos atrás em meu outro blog - onde escrevia sobre fibras têxteis. Ele conta um pouco sobre a história do patchwork, que é muito bonita. Recomendo!

Abraços e um ótimo dia!

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 13

Bom dia!

Animadas para mais um bloco? Hoje vamos reforçar um pouco mais a técnica canto-quebrado. Nosso bloco nº 13 é simples, rápido e lindo:
Este bloco é composto por 4 quadrantes; cada quadrante é formado por dois quadradinhos (um coringa + um azul claro) e um retângulo com o canto quebrado (dando origem a um trapezoide + um triângulo).

Nossa lista de corte fica assim:
  • Peça A: é um retângulo medindo 2 x 4; corte com 2 1/2 x 4 1/2", quatro vezes, sendo:
    2x em azul escuro
    2x em azul médio
  • Peça B: é o quadradinho que você vai usar para "quebrar o canto"; tem a mesma largura do retângulo - 2 polegadas; corte com 2 1/2", quatro vezes, sendo:
    2x em azul escuro
    2x em azul médio
  • Peça C: é o quadradinho simples. Mede 2 polegadas, então corte com 2 1/2"; você vai precisar de 8 deles, sendo:
    4x no azul claro
    4x no coringa

Vamos montar? Comece preparando as peças com os cantos quebrados; quebre os cantos dos retângulos em azul escuro com os quadradinhos em azul médio; e quebre os cantos dos retângulos em azul médio com os quadradinhos em azul escuro. Complicou? Siga o desenho:
Na ilustração acima, os quadradinhos não estão alinhados com os retângulos - mas é só para você poder ver que os quadradinhos vão em cima dos retângulos, direito com direito. Para costurar você deve alinhar as duas peças com perfeição. Lembre de seguir o procedimento que aprendemos na lição anterior: 
  •      risque os quadradinhos na diagonal exata;
  •      costure em cima dessa linha;
  •      corte deixando 1/4" de margem, como mostram as linhas vermelhas na ilustração;
  •      passe a ferro virando a pontinha do triângulo para fora.

ATENÇÃO: tome o cuidado de "quebrar os cantos" todos na mesma direção!

Próximo passo: costure os quadradinhos (peças "C"): junte um quadradinho azul claro + um quadradinho coringa; faça 4 vezes; passe as margens de costura para o lado azul.

Em seguida, costure os "quadrantes":
IMPORTANTE: Este bloco vai introduzir algumas novidades em termos de encaixe: até aqui, todos os blocos tinham interseções - encontros de margens de costura - em que as duas costuras alinhavam-se perpendicularmente. A costura acima tem interseções que não se alinham: uma é perpendicular, a outra é... diagonal! Muita calma nessa hora: é só você se lembrar que a ponta do triângulo não vai "bater" com a margem dos dois quadradinhos: ela vai ultrapassar a interseção dos quadradinhos em 1/4 de polegada. Isso é normal. Eu sei - o que escrevi aqui parece não fazer sentido; mas tenha fé e costure: Vai fazer sentido quando for costurar!

E, finalmente, junte os quadrantes como mostrado abaixo:
IMPORTANTE 2: Aqui também temos um outro tipo de encaixe: a interseção de duas diagonais - que é uma situação mais simples do que o caso já explicado acima. Ao costurar essas etapas, você vai reparar que as diagonais dos triângulos se alinham, mas que as duas margens de costura estão passadas para o mesmo lado. Desvire propositalmente uma delas, facilitando o encaixe - como já fazemos nas interseções lineares dos blocos anteriores: margens invertidas, lembra?

Não fique muito preocupada com estas regras para encaixes lineares, diagonais, etc.: apenas faça seus blocos e pratique. A gente só aprende a lidar bem com esses encaixes... exercitando. Como tudo na vida, não é? Nenhuma confeiteira decorou seu primeiro bolo com perfeição. E nenhum bom motorista sentou-se ao volante e saiu dirigindo bem na primeira tentativa. Para aprender, é preciso estar disposto a errar.

Nós, costureiras, temos uma vantagem: podemos desmanchar e repetir. Aqui no ateliê nós temos até um apelido carinhoso para o desmanchador de costura:  é o nosso Tabajara Desmancheitor! E eu fiz questão de ter por perto esse quadrinho inspirador:

Então vamos lá: sem medo de errar é que se aprende!

Até semana que vem!

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Projeto Sampler 2017 - Bloquinhos prontos!

Olá!

Nosso projeto está crescendo rápido e já são 12 bloquinhos! Como sempre, eu espero juntar 4 para todos de uma vez. Então, essa semana, confeccionei os bloquinhos 9, 10, 11 e 12:

E estes são meus 12 blocos juntos:

Está costurando os seus? Mande a foto para a gente postar!

Quarta-feira tem bloco novo. Aproveite o friozinho para costurar, e bom fim de semana!

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 12

Bom dia!

Na segunda-feira eu escrevi uma postagem "água-na-boca" sobre a técnica canto quebrado; agora, vamos para a prática!

Este é o nosso bloco da semana:
Ele é formado por dois quadrados inteiros, e dois quadrados com os cantinhos "quebrados". Aproveite para exibir uma estampa mais elaborada nos quadrados inteiros.

Repare que a peça que tem os cantinhos quebrados - tradicionalmente conhecida como snow ball, ou "bola de neve" - tem uma proporção de 4 x 4 quadradinhos, e os cantinhos ocupam uma proporção. Nosso bloco precisa medir 8 polegadas, como os anteirores. Então:

  • Os quadrados simples medem 4 polegadas; corte com 4 1/2", duas vezes (arrase na estampa!); reserve;
  • Os quadrados do "snow ball" também medem 4 polegadas; corte com 4 1/2", duas vezes (prefira uma estampa mais delicada, tom-sobre-tom e clara;
  • Os cantinhos quebrados medem 1 polegada; corte quadradinhos de 1 1/2, em cor escura, 8 vezes.

Hora de fazer seus primeiros cantinhos quebrados!

Se você leu a lição básica nº 5, como eu sugeri na postagem da segunda-feira, já sabe o que fazer; mas vamos reforçar:

Comece riscando* na diagonal exata os oito quadradinhos de 1 1/2", no lado do avesso.

*Um lápis 2B com a ponta bem afiada é sempre a melhor opção para riscar no avesso dos quadradinhos; mas ao usar tecidos escuros, prefira uma caneta de gel com glitter - dourada ou prateada. 

Para quebrar os cantos, siga a ilustração:
  1. Alinhe um quadradinho de 1 1/2", já riscado, em um dos cantos do quadrado de 4 1/2";
  2. Costure exatamente em cima da linha riscada (para isso, é melhor que a agulha da máquina esteja ajustada na posição central);
  3. Corte o excesso deixando apenas uma margem de 1/4 de polegada - como mostra a linha tracejada vermelha;
  4. Passe a ferro, virando a ponta do triângulos para fora como mostra a seta vermelha.

As sub-unidades estão prontas!

Repita em cada canto de ambos os quadrados de 4 1/2" (os de estampa mais básica).

Para montar o bloco:

Você agora já tem 12 blocos prontos para o seu sampler, e já conheceu diversas técnicas!

Nas próximas semanas vamos continuar explorando as possibilidades do canto quebrado, e também revisaremos o que já vimos até aqui - teremos blocos que misturam técnicas diversas!

Mas você deve estar se perguntando: o bloco acima usa triângulos HS... por que, na hora de cortar, acrescentamos 1/2 polegada de margem, e não 7/8 como vinhamos fazendo até agora?

Vamos então entender a diferença entre a técnica Canto Quebrado e os Bipartidos:

Acompanhe em nossa página no facebook as fotos dos bloquinhos enviadas pelas participantes do projeto, e envie as suas também!

Uma boa semana e até quarta que vem!

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Canto-quebrado: técnica nova, incríveis possibilidades!

Bom dia!

Hoje ainda é segunda feira (e feriado!), mas eu já estou aqui pensando na postagem da próxima quarta - o bloco nº12 do nosso Sampler 2017.

Sempre seguindo nosso esquema de ir aos poucos apresentando novas técnicas, esta semana vamos começar a aprender sobre o canto-quebrado*. É uma técnica fantástica que abre um leque enorme de possibilidades. O canto-quebrado é tão importante e versátil que merece esta postagem introdutória.

Quer ver? Vou compartilhar com vocês um pouco do que está no conteúdo programático que disponibilizo para as novas alunas do ateliê:


  • A técnica CANTO QUEBRADO ensina a combinar triângulos com formas pouco comuns – como octógonos, pentágonos e trapezoides. Trata-se de uma técnica muito importante: ela permite criar blocos mais ilustrativos, como o passarinho abaixo:

  • Com um pouco mais de prática e um olhar aguçado, é possível trabalhar com múltiplos cantos quebrados, e em tamanhos variados, para transformar as sub-unidades em peças realmente sofisticadas, possibilitando a execução de designs ainda mais avançados:


Deu para dar uma idéia, né?

Eu já escrevi um pouco sobre essa técnica tempos atrás aqui no blog, na lição básica nº 5; ela é, na verdade, muito simples de executar. Daqui para a frente teremos vários bloquinhos que ajudarão a praticá-la. Fique de olho!

Bom feriado e até quarta!

*O termo "canto-quabrado" é invenção minha, certo? rsrsrsrs É preciso dar nome aos santos! Infelizmente, temos poucas publicações sérias brasileiras sobre o patchwork; os raros livros traduzidos deixam em inglês os nomes das técnicas diversas. O resultado é que ainda não temos uma nomenclatura convencionada em português. Eu venho, portanto, criando minha própria nomenclatura em alguns casos - como "gansinho", "bipartido", tripartido", etc., que já vimos nas lições anteriores.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 11

Bom dia!

'Bora praticar mais gansinhos?

Para reforçar o aprendizado da semana passada, planejei para hoje um bloco que utiliza apenas gansinhos - 8 deles:

Para um bloco de 8 polegadas, cada gansinho precisa medir 2" x 4". Então nossa lista de corte fica assim:

Quadrado maior: cortar com 5 1/4, na cor escolhida, 2x (porque você vai costurar dois conjuntos de gansinhos, certo?

Quadradinhos menores: cortar com 2 7/8, em tecido coringa, 8x (porque para quadrado maior você precisa de 4 menores)
Está confusa? Não deixe de reler a lição 10, que explica tudo sobre o cálculo e confecção dos gansinhos.


Monte seus gansinhos conforme mostrado lá.

O próximo passo é unir gansinhos, formando pares. Monte quatro pares:

Agora, costure dois pares juntos, prestando atenção à posição. Faça duas vezes:

Finalmente, una as duas peças do passo anterior:

Pronto!

E já que estamos falando em gansinhos, um update sobre o bloco 10, ensinado na semana passada: se você mudar a posição dos gansinhos - apontando o "bico" para fora, e não para dentro - o resultado é completamente diferente: experimente:

Viu só? Eu apenas inverti a posição dos gansinhos. E usei um tecido de estampa graúda no centro. Bloco novo!

Divirtam-se! Semana que vem tem bloco novo e técnica nova também! Até lá!

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Projeto Sampler 2017 - BLOCO 10

Olá, participantes do projeto!

Vocês perceberam que aos poucos estão dominando diversos tipos de pecinhas, formas, possibilidades?

Hoje vamos confeccionar nossos primeiros flying geese - ou gansinhos!

Na verdade, a expressão quer dizer "gansos em vôo". É uma referência à formação dos gansos no céu quando migram:

Nosso bloco de hoje é um design bastante tradicional:


Os gansinhos são incrivelmente versáteis! Eu já postei uma aula sobre como produzí-los - inclusive com links para postagens no facebook mostrando possibilidades. CONSULTE ESSA LIÇÃO PARA SABER COMO MONTAR SEUS GANSINHOS E PARA ENTENDER COMO AS PECINHAS SÃO CALCULADAS. 

Os gansinhos precisam medir 4 x 2 polegadas; você vai precisar cortar:
  • 1 quadrado maior, medindo 5 1/4", em tecido coringa;
  • 4 quadradinhos menores, medindo 2 7/8", em tecido escuro.
Para as demais peças, corte:
  • Centro: mede 4 polegadas; corte com 4 1/2". Já que é uma peça simples e um pouco maior que as demais, é uma boa oportunidade de usar uma estampa mais elaborada ou temática.
  • Cantos: medem 2 polegadas; corte com 2 1/2, em tecido coringa, 4 vezes.


A montagem do bloco é bem simples:
Em seguida junte tudo:
Está pronto!

Este bloco é muito simples, mas com o tempo e a prática é possível criar inúmeras variações. Alguns anos atrás eu propus a minhas alunas um desafio: criar projetos totalmente diferentes a partir deste mesmo design. Estas foram algumas ideias que tivemos:

E esta peça foi uma brincadeira minha - uma experiência utilizando este bloco em 5 tamanhos diferentes: 4, 6, 8, 10 e 12 polegadas!


Também é possível costurar uma peça inteira só com gansinhos, sem montar blocos: é rápido e fica muito bonito! Esta é uma colcha que eu e minha alunas confeccionamos em 2010, e que foi doada como prenda de um bingo beneficente:


Nas próximas semanas vamos confeccionar outros modelos de blocos que utilizam gansinhos. Mas enquanto aguarda, faça uma experiência: digite "flying geese" no campo de busca do Pinterest. Você vai se encantar!

Até semana que vem!

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Paninhos, Amigos, Apoio, Começos...

Hoje cedo eu fiz um post aqui sobre ensinar e aprender, citei meu início como professora de patchwork e fiquei de contar depois a história. E aí depois virou agora, pois não deu para resistir.

Eu comecei a ensinar patchwork como voluntária - na Creche Foch, aqui Pouso Alegre: lugar especial onde fiquei por dois anos, e onde aprendi muito. O carinho que ficou é tanto, e a admiração pelo trabalho deles é tamanha, que até hoje aqui no ateliê quase todos os nossos projetos solidários são em benefício dessa incrível instituição e suas crianças. Aqui tem uma postagem sobre um desses projetos, e na página do ateliê no facebook você encontra outros.

Sou muito grata pelo tempo que passei na creche porque lá eu percebi que podia me tornar professora. Mas ainda assim não pensava em deixar minha profissão e seguir por esse caminho como acabei fazendo. Houve algumas pessoas que foram fundamentais para que isso se tornasse possível, e é sobre duas delas que quero contar hoje.

Quando mudei para Pouso Alegre, em 2003, o patchwork estava começando a se tornar muito popular no Brasil. Por aqui, nem se ouvia falar ainda; e nem havia materiais ou variedade de tecidos à venda. As primeiras pessoas para quem mostrei meu trabalho na cidade foram o William e a Ana Maria Clareth - irmãos e proprietários da Jomar Tecidos e do Bazar Ana Maria. Deles eu recebi o encorajamento inicial para começar a dar aulas profissionalmente; eles também se comprometeram a disponibilizar em suas lojas os materiais necessários, e foram os primeiros a anunciar meu trabalho.

E foi assim que comecei. Com a cara, a coragem, e duas máquinas de costura em cima da mesa da sala. As primeiras alunas vieram. E muitas outras, com o tempo. Uma forasteira ganhava nome na cidade.

E mesmo sendo eu quase desconhecida, a Jomar tecidos e o Bazar Ana Maria aceitaram patrocinar minha primeira exposição na cidade. Eles não faziam ideia do que eu ia montar (e nem eu!), mas confiaram e apoiaram. Depois vieram outras exposições, outros eventos; e também diversos projetos solidários realizados... sempre com o apoio deles.


Aninha, William e eu na inauguração da 1ª Mostra de Patchwork de Pouso Alegre, realizada em maio de 2009 na galeria do Conservatório Estadual de Música. 

Este não é, portanto, um post pago - pois eles me "pagaram adiantado" rsrsrs: apoiando e divulgando meu trabalho e meus eventos!

Hoje meu ateliê é conhecido em Pouso Alegre e região, e a Jomar Tecidos e o Bazar Ana Maria pesquisam e correm atrás para oferecer cada vez mais variedade de tecidos e outros materiais necessários para quem faz patchwork (e outras artes também!). Este mês o William inaugurou sua nova loja - ampliada, modernizada e com uma coleção de estampas de derreter o coração de qualquer "Quiltéria"!

A nova Jomar Tecidos fica em frente à praça principal da cidade, do lado esquerdo da Catedral (e o bazar da Aninha fica ali pertinho, no calçadão).








Olha o Baú da Cotinha aí: peça feita por mim exposta na loja. A maior parte de minhas alunas descobre o ateliê através da Jomar.

Aninha e William na nova loja.
Aninha dando uma força durante a montagem de nossa primeira exposição, em 2009. Ela também é artesã e contribuiu com uma de suas peças.



Foi um prazer acompanhar o entusiasmo de nossos parceiros enquanto a reforma acontecia, e poder fazer as fotos acima na semana da inauguração. Parabéns pelo trabalho, e mais uma vez obrigada por apoiar o Baú da Cotinha!